12 de jul de 2010

Corot-9b - Novo exoplaneta encontrado pode ser a Pedra de Roseta Cósmica.


O exoplaneta Corot-9b e sua estrela central. 
Um planeta gigante gasoso recém-descoberto com uma órbita quase circular em torno de sua estrela, Hot Júpiter, é o primeiro planeta fora do nosso sistema solar (ou "exoplaneta"), que pode ser observado em detalhes, em um novo estudo.


Constelação Serpente (Serpens Cauda) crédito: ESO

O projeto do satélite CoRoT é uma parceria internacional com participação de laboratórios franceses e de mais seis países europeus e do Brasil.

Cientistas que integram a equipe do satélite CoRot acabam de anunciar a descoberta de um planeta do tamanho de Júpiter e que possui cerca de 300 vezes a massa da Terra. Denominado CoRot-9b, o exoplaneta está bem próximo de uma estrela similar ao Sol, na constelação Serpens Cauda, distante cerca de 1.500 anos-luz da Terra.

Imagem divulgada pelo Observatório Europeu do Sul - ESO, mostra o planeta extra-solar denominado Corot-9b. Foto: ESO/AFP


O planeta Corot-9b passa na frente de sua estrela a cada 95 dias, como visto da Terra. Cada um desses trânsitos dura cerca de oito horas. Quando está posicionado entre sua estrela e a Terra, parte da luz da estrela passa através da atmosfera do exoplaneta.


Ao estudar esta luz estelar filtrada, os astrônomos serão capazes de determinar quais as moléculas que compõem a atmosfera de Corot-9b. Se for esse o caso, ele poderia se tornar uma "Pedra de Roseta" cósmica para a investigação de exoplanetas, disse o co-autor do estudo Claire Moutou do Laboratório de Astrofísica de Marselha, na França, referindo-se ao artefato antigo que ajudou a decifrar os hieróglifos egípcios.(Relacionando...).


Satélite CoRot - imagem digitalizada. ESO/AFP

O Satélite CoRoT identificou o planeta após 150 dias de observações durante o verão de 2008.
De acordo com o professor Sylvio Ferraz-Mello, (Departamento de Astronomia do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da USP), os cálculos realizados até o momento apontam que a sua temperatura superficial é prevista entre -4 graus e 320 graus Fahrenheit (-20 graus e 160 graus Celsius).

“Nessas temperaturas pode até existir água no estado líquido”, avalia o professor, que integra a equipe de mais de 60 cientistas que atuam no satélite.

Imagem divulgada pelo Observatório Europeu do Sul - ESO, mostra o planeta extra-solar denominado Corot-9b. Foto: ESO/AFP


Ferraz-Melo conta que as observações tiveram início em 2008. “Na verdade, o planeta Corot9-b foi descoberto há cerca de dois anos, mas somente agora é que ele foi anunciado”.
As informações sobre a temperatura e a forma do novo exoplaneta foram obtidas por medidas espectrográficas feitas a partir de um observatório no Chile. O trabalho no IAG, de acordo com o professor, envolve duas frentes de estudos: o tratamento das observações feitas no Chile, que permite obter medidas espectrográficas que determinam a massa do planeta, por exemplo, e o estudo dos fenômenos das marés nos planetas, que afetam sua rotação.



“O Corot-9b não é completamente esférico. Ele é levemente ovalado”, observa o cientista, destacando que o planeta que acaba de ser anunciado demonstra um grande potencial para futuros estudos de suas características físicas e atmosféricas. 

"É o que esperamos quando pudermos investigar este planeta, que terá características que estão próximos a outros planetas gasosos gigantes fora do nosso sistema solar", diz Clair Moutou. Isso porque pensa-se que as propriedades físicas de Corot-9b poderão ser representativas de muitos exoplanetas gigantes de gás em nossa galáxia; Assim, estudar em detalhes o Corot-9b poderia lançar luz sobre os mundos que não estão em trânsito, tornando assim impossível para os astrônomos a investigação.


Um novo planeta semelhante a Júpiter e Saturno:
A técnica da luz solar filtrada tem sido utilizada para estudar a composição de outros gases da atmosfera dos exoplanetas com grande sucesso.
No entanto, os planetas orbitam muito perto de suas estrelas e são, portanto, muito mais quentes. Como resultado. . . Leia mais aqui.


Fontes:

Ker Than para National Geographic DailyNews (em 17 de março de 2010).
USP-SP / da Redação - agenusp@usp.br

Mais informações:
Eduardo Janot Pacheco - janot@astro.iag.usp.br
Sylvio Ferraz Mello - sylvio@astro.iag.usp.br
Claire Moutou - Laboratório de Astrofísica de Marselha, França.
 

Sites pesquisados:
Observatório Europeu Austral
Satélite CoRoT
Revista Nature.

Laboratório de Astrofísica de Marselha
G1.com/Ciência/Astronomia

Nenhum comentário: