2 de fev de 2010

UNESCO incentiva a popularização do conhecimento astronômico.

Há 400 anos atrás Galileo trocou as manchas escuras na superfície da Lua para ser mares. Ele estava errado. Hoje, nós enviamos missões à Lua em busca de água. Os avanços tecnológicos têm sido extraordinários: nos últimos 20 anos, 350 planetas foram descobertos fora do nosso sistema solar e há vários meses as primeiras imagens chegaram até nós via satélite. Telescópios na Terra e no Espaço exploram o Universo 24 horas por dia, mas é ainda muito desconhecida.
Em termos de investigação científica, o principal tema debatido foi o da matéria escura e a energia escura.
"Noventa e cinco por cento da energia total do universo não é visível no sentido que costumamos entendê-la, por isso, foi apelidada de "matéria escura"  e  "energia escura", disse George F. Smoot, Prêmio Nobel de Física e Françoise Combes, do Observatório de Paris, acrescentando:
"Os cientistas inventaram o conceito de energia escura para explicar um fenômeno descoberto há 10 anos - a aceleração da expansão do universo".  Segundo a teoria mais aceita até então, o universo vem se expandindo desde o Big Bang e contrato em um "Big Crunch".
Hoje sabemos que essa teoria é falsa, mas ainda não está claro o que provoca a aceleração."

Nossas fontes:
Jasmina Sopova
le Courier (UNESCO)
IYA2009 - International Year of Astronomy. 
 


Fotos: UNESCO / O.Brendan
Foto 1: NASA - imagem de vôo da Endeavour.
Foto 2: Crianças da escola pública Katha (favelas Govinpuri, sul de Nova Delhi, Índia), durante uma aula de astronomia.

Nenhum comentário: